Review: Multimédia e Tecnologias Interactivas

Multimédia e Tecnologias Interactivas
Multimédia e Tecnologias Interactivas by Nuno Magalhães Ribeiro
My rating: 5 of 5 stars

Pela sua própria natureza, a área das Tecnologias de Informação e Comunicação e, em particular, a área das Tecnologias Multimédia, está constantemente a mudar e a evoluir, muito devido aos avanços constantes que se verificam nas tecnologias digitais de hardware e software que suportam o armazenamento, a transmissão, o processamento e a apresentação da informação multimédia. Por isso, este livro, que tem sido utilizado como base de aprendizagem em muitas escolas e universidades portuguesas, teria necessariamente que evoluir, para acompanhar e integrar os novos desenvolvimentos tecnológicos que são relevantes para a compreensão do que é a multimédia, qual a sua relevância, e o papel que desempenha na sociedade do presente. Além disso, ninguém está interessado em aprender sobre tecnologias tendo por base informação desatualizada.

Assistimos a uma grande quantidade de mudanças tecnológicas desde que a 1.ª edição deste livro foi lançada em 2004. As sucessivas edições que se seguiram até à 4.ª edição foram incorporando as novidades que iam surgindo. Contudo foi com esta 5ª edição que chegou o momento adequado para efetuar mudanças e adições muito mais substanciais ao texto original. Desde logo, o texto foi inteiramente revisto e reescrito à luz das regras do novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa de 1990, que entrou em vigor em Portugal e no Brasil em 2009.

Por outro lado, o texto original foi integralmente modificado tendo em consideração quatro critérios fundamentais: manter e melhorar a explicação dos conceitos base, isto é, a análise das fundações de multimédia e interação que não mudam com os avanços tecnológicos; retirar referências a tecnologias obsoletas substituindo-as por referências a tecnologias atualizadas; modificar a estrutura de alguns capítulos do livro de forma a integrar nova informação sobre as novas tecnologias que se utilizam na atualidade; e tendo em consideração novas fontes bibliográficas atualizadas. Assim, sintetiza-se a seguir, capítulo a capítulo, a nova informação que pode ser encontrada nas páginas da 5.ª edição atualizada e aumentada deste texto.

O Capítulo 1, que contém a introdução a Multimédia e Tecnologias Interativas, foi modificado de forma a referenciar as novas tecnologias, as novas ferramentas de autoria de conteúdos e aplicações multimédia e as novas áreas de utilização das tecnologias multimédia.

No Capítulo 2, a secção referente à interatividade foi aumentada com a análise da interatividade obtida a partir de scripting, tendo-se igualmente acrescentado uma análise mais detalhada do papel da interatividade nas aplicações multimédia, distinguindo e fornecendo exemplos sobre duas vertentes essenciais: a interação com conteúdos multimédia e a interação através de conteúdos multimédia.

O Capítulo 3, que classifica e caracteriza as aplicações multimédia interativas, foi um dos que mais mudanças observou. Assim, para além da atualização das referências, figuras e designações associadas a todos os exemplos tecnológicos incluídos neste capítulo, foi ainda acrescentada informação sobre: novos conceitos de blended learning e m-learning e sistemas de e-learning para o ensino interativo online; novos suportes para livros eletrónicos (e-books); novas consolas multimédia para jogos interativos e uma classificação atualizada dos jogos interativos, recorrendo a uma nomenclatura que inclui os novos tipos de jogos multimédia; novas aplicações de realidade aumentada que complementam a secção das aplicações de realidade virtual; novas aplicações de visão por computador; e novas tecnologias interativas para os quiosques multimédia, incluindo superfícies interativas multitoque para montras, mesas e pisos interativos, combinadas com tecnologias de comunicações sem fios. Finalmente, foram igualmente atualizadas as referências às ferramentas de autoria multimédia.

O Capítulo 4, que aborda os tipos de informação multimédia estáticos – texto, gráficos vetoriais e imagens bitmap – foi atualizado e expandido com: informação complementar sobre hipertexto e hipermédia e respetiva relação com a Web; referências a formatos adicionais de imagem, passando a incluir descrições sobre os formatos PNG, JPEG/JFIF/JPEG200, Exif, PSD, TIFF, RAW e DNG e acrescentando-se ainda informação sobre a adição de metadados às imagens fotográficas; e uma descrição atualizada das ferramentas de software que permitem aplicar operações de edição de imagens.

O Capítulo 5, que trata dos tipos de informação multimédia dinâmicos – vídeo, áudio, música, voz e animação – foi também atualizado e expandido no que diz respeito a codecs e formatos adicionais de vídeo e áudio digital, que são muito utilizados atualmente, incluindo nova informação sobre HDTV, Divx e Xvid, Flashvideo-FLV e respetivos codecs, Matroska-MKV, MPEG-4, H.264/AVC, WMV-9 e codec VC-1, OggTheora e WebM; ao nível do áudio digital, acrescentou-se informação sobre PCM e ADPCM, MP3, AAC, WMA, OggVorbis e HE-AAC; e foi igualmente atualizada a secção que aborda a autoria de vídeo digital.

O Capítulo 6, que apresenta os conceitos e ferramentas de autoria de aplicações multimédia, foi atualizado com referências a novas ferramentas de autoria, bem como com exemplos e figuras atualizadas para refletir a utilização das novas versões das ferramentas de autoria multimédia.

O Capítulo 7, que analisa o desenvolvimento de projetos de aplicações multimédia, foi atualizado com nova informação sobre o modelo PERT; uma nova secção que analisa métodos de gestão e desenvolvimento de projetos multimédia alternativos ao método clássico (waterfall), incluindo informação recente sobre PMBOK, métodos ágeis de desenvolvimento de software, SCRUM, Extreme Programming, Lean e RAD e uma comparação do modelo em cascata com os modelos em espiral e os modelos ágeis no que diz respeito ao desenvolvimento de projetos multimédia.

O Capítulo 8, que aborda os suportes óticos para conteúdos e aplicações multimédia, foi expandido com nova informação sobre os discos Blu-ray, bem como os tipos de aplicações multimédia distribuídas em discos Blu-ray. Foi ainda acrescentada nova informação à secção que analisa o futuro dos suportes óticos tendo por base novas tecnologias que atualmente se encontram ainda no domínio da investigação.

Dada a importância crescente das aplicações multimédia para a Web, o Capítulo 9 foi um dos capítulos que sofreu mais alterações e adições de nova informação. Assim, foram acrescentadas novas secções que apresentam: as tecnologias Ajax e a nova norma HTML5 para o desenvolvimento de páginas, sites e aplicações Web; a grande variedade de ferramentas disponíveis para a pesquisa de informação multimédia online, tais como as ferramentas disponibilizadas pela Google; os novos tipos de aplicações multimédia para a Web 2.0 incluindo mashups, redes sociais, RSS, wikis, blogs multimédia, social bookmarking e podcasts; informação sobre o desenvolvimento da Web 3.0, também designada por Web semântica, e respetivas tecnologias XML, RDF, RDFS e OWL; e nova informação sobre a Web como suporte para cloud computing orientado para conteúdos e aplicações multimédia, tendo-se acrescentado uma análise das camadas de cloud computing (dSaas, Iaas, PaaS e SaaS), bem como explicações sobre os conceitos de virtualização e arquiteturas orientadas aos serviços, de modo a explicar as duas utilizações complementares de cloud computing em multimédia: nuvens sensíveis a multimédia e aplicações multimédia sensíveis à nuvem.

O Capítulo 10 possui agora um novo título – Sistemas Multimédia – já que passou a integrar três tipos importantes de sistemas multimédia: sistemas de realidade virtual, sistemas de televisão digital interativa e 3D e sistemas de computação móvel multimédia. Este foi outro dos capítulos que cresceu com novas contribuições, tendo sido acrescentada informação sobre: televisão digital e respetivas normas, abordando-se o conceito de TDT, as várias normas da família DVB e o sistema MHP; televisão 3D, sendo apresentadas as tecnologias estereoscópicas 3D, autoestereoscópicas 3D e respetiva utilização em novas consolas, tais como a 3DS, FTV e MVV, as tecnologias holográficas e a norma DVB 3D-TV; uma secção totalmente nova sobre multimédia em sistemas e dispositivos móveis como smartphones e tablets, incluindo informação sobre a influência de novas tendências tais como BYOD, DIY e tecnologias de códigos QR no desenvolvimento de aplicações multimédia para dispositivos móveis.

Acrescentou-se informação detalhada sobre as características e limitações dos dispositivos móveis e respetivo impacte no design de conteúdos e interfaces para aplicações multimédia, analisando-se com detalhe um modelo de camadas que caracteriza as várias plataformas, sistemas operativos e infraestruturas de programação e desenvolvimento de aplicações móveis, analisando, entre outros, os sistemas mais utilizados atualmente (iPhone, Android, Windows Phone), tendo-se igualmente analisado o desenvolvimento de aplicações Web para dispositivos móveis.

Deu-se particular relevância a novas aplicações multimédia sensíveis ao contexto (físico, da interação e social) e indicaram-se orientações (guidelines) para o respetivo design. Esta secção inclui ainda uma classificação de novos tipos de aplicações multimédia para dispositivos móveis e respetivas características, incluindo aplicações móveis nativas e aplicações móveis para a Web. Abordou-se igualmente as novas modalidades de interação com dispositivos móveis, tais como a utilização combinada de fala (voz), de áudio não verbal e gestos, desde interfaces multitoque até interfaces baseadas em movimentos corporais. Este capítulo termina com uma análise detalhada de 13 orientações (guidelines) para o design de aplicações multimédia para dispositivos móveis, incluindo referências para o leitor obter informação específica sobre cada plataforma em particular.

Finalmente, o Capítulo 11 foi revisto e atualizado no que diz respeito a sugestões práticas para o desenvolvimento de projetos de aplicações multimédia baseadas nos conceitos e tecnologias introduzidos ao longo do livro.

É de salientar que a 5.ª edição deste livro conta ainda com as seguintes novidades: um novo encarte que ilustra as imagens a cores que estão distribuídas pelo livro, de modo a melhorar a compreensão dos conceitos associados ao uso da cor em multimédia; um glossário que estabelece a correspondência entre os termos utilizados no Português Europeu e no Português do Brasil; e um índice remissivo atualizado e expandido com os novos conceitos e tecnologias que foram acrescentados à obra.

View all my reviews

Sobre Nuno Magalhães Ribeiro

Professor Universitário e Autor especialista em Engenharia Informática.
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

2 respostas a Review: Multimédia e Tecnologias Interactivas

  1. Paulo diz:

    Estou ansioso por o poder folhear. E atualizar os meus apontamentos. E já agora, aprender algo mais.
    Parabéns,

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s